Poema

O poema engravidou,
num sêmen de amor,
entre rios e oceanos.
A distância não os separou:
fecundou no entusiasmo da paixão,
momento mágico em plena madrugada,
seduzido pela beleza.
A estrela azul iluminou o poema:
por osmose, nas ideias passeou,
foi crescendo, igualando-se a uma árvore
regada com afeto e carinho,
e foi invadindo as folhas.
Eram tantas folhas lindas,
que um livro nasceu sorrindo.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s